O que o líder de uma empresa familiar deve passar para seus sucessores? Por Cícero Rocha

Em uma empresa familiar, o poder não se transfere, ele é conquistado. A principal tarefa dos herdeiros é a construção de sua legitimidade perante os colaboradores e a família. Ao fundador cabe a tarefa de despertar no sucessor o interesse pelo negócio.

Além da transferência de poder e patrimônio, de um líder para o seu sucessor, há também uma sucessão que envolve a transmissão de conhecimentos. Mesmo com a saída do fundador, o planejamento e a administração do negócio podem continuar sendo conduzidos de forma semelhante à estabelecida pelo primeiro líder, ainda que com enfoque alterado, seguindo estilo de liderança diferenciado e de acordo com formações teórica e prática renovadas.

Um líder deve passar ao seu sucessor sua perspicácia, ensinar sobre a capacidade adaptativa às constantes mudanças e situações, criatividade e flexibilidade nas tomadas de decisões, para que assim o sucessor possa manter a família e os negócios livre de qualquer “intempérie”, ou seja, transforme a empresa em uma zona de segurança para a família.

O Instituto Empresariar pode ajudar sua empresa nesse processo de alinhamento, por meio de um método próprio, chamado BFB. Para mais informações entre em contato conosco!

Cícero Rocha,

Fundador do Instituto Empresariar e Referência em Empresas Familiares.

Qual o impacto da morte na empresa familiar? Por Cícero Rocha

Hoje venho falar com vocês sobre falecimento em empresas familiares. Sabemos que a morte de um parente é uma situação muito triste, e pode ser complicada se esta pessoa estiver diretamente envolvida nos negócios de uma empresa familiar, caso não haja estrutura adequada dos indivíduos-chaves e do conselho, além de um planejamento correto do ecossistema.

As famílias devem estar prontas para essa eventualidade e isso começa quando entendemos que o nosso dia chegará e temos que tomar medidas preventivas com relação ao patrimônio, a gestão e à família.

Possíveis medidas a serem tomadas são:

1) o acordo de sócios;

2) o acordo de família;

3) o mapeamento dos potenciais sucessores dentro do âmbito familiar.

São medidas cabíveis para a situação, uma vez previsto que o acordo de sócios/família/acionistas, o Conselho de Administração e o Conselho de Sócios devem liderar o processo sucessório com base nas regras anteriormente estabelecidas.

É importante evitar conflitos em um momento delicado como este, pois o conflito surgirá na medida da indefinição ou da ausência das regras de substituição e de mecanismos de acompanhamento de sucessores, que citei acima.

Caso você precise de auxílio em como lidar com o falecimento de um parente gestor dentro de sua empresa familiar, entre em contato comigo, terei a maior satisfação em lhe ajudar. Basta me acionar!

Quais os motivos de se procurar um conselheiro externo? Por Cícero Rocha

Sabemos que o conselho familiar necessita de um planejamento estratégico bem pensado e executado com maestria, para que assim se obtenham bons resultados, um conselheiro externo pode auxiliar neste planejamento, com seu olhar externo auxiliar os fundadores na autogestão da empresa.

Na hora de tomar decisões, o conselheiro também garante a imparcialidade em suas opiniões e questões abordadas, para que assim o ecossistema familiar chegue a uma decisão comum e correta! Além disso, o profissional reforça a importância da disciplina entre os os indivíduos-chave e o resultado positivo das boas práticas de governança a serem seguidas e repassadas aos membros familiares e possíveis sucessores.

Outro ponto em que um conselheiro pode ajudar é no auxílio de possíveis conflitos de interesses, seja entre a família empresária e suas respectivas divergências pessoais ou entre a empresa familiar nos negócios patrimoniais e com seus sócios.

A mediação entre os conflitos familiares obviamente de une ao trabalho feito pelo conselheiro de auxiliar nos conflitos, pois ele de maneira estratégica e capacitada faz com que todos os familiares cheguem a um comum acordo, com todos sendo ouvidos e tendo suas considerações acatadas!

Outra das vantagens de contratar um conselheiro está no acompanhamento da performance da empresa a partir do benchmarking, com isso segue-se uma linha de trabalho que os membros do conselho consequentemente serão qualificados a exercerem suas funções e ainda com todos os cuidados a família empresária o conselheiro consegue defender o interesse dos sócios, fazendo com que todas as partes envolvidas da empresa familiar tenham a assistência necessária para seguir com seus propósitos!

No Instituto Empresariar, os papéis e responsabilidades de um conselheiro externo passam por etapas de mapeamento, análise de resultados e treinamento de novos conselheiros, quer saber mais sobre nossas soluções? Entre em contato comigo, será um prazer lhe ajudar!

Cícero Rocha,

Fundador do Instituto Empresariar e Referência em Empresas Familiares.

Pra quê Gorvenança? Por Cícero Rocha

A Governança Corporativa é um mecanismo de gestão que, de maneira estruturada e adequada à realidade de cada negócio, visa garantir a perpetuidade de todo ecossistema da empresa familiar, ou seja: indivíduos-chave, sócios, empresa e família.⠀

Uma Governança implementada com êxito traz muitas vantagens para os empreendimentos familiares. Aqui, destacamos apenas alguns: ⠀

1. Ajuda a manter um conselho atuante e com uma arquitetura de informação capaz de analisar e avaliar o desempenho da empresa, alinhar o foco à estratégia e ter uma excelente dinâmica de relacionamento com os indivíduos, a família e os sócios;⠀
2. Facilita um fluxo de comunicação maduro entre todas as partes interessadas;⠀
3. Estabelece uma relação de confiança entre empresa e stakeholders;⠀
4. Qualifica a tomada de decisões mesmo em momentos adversos;⠀
5. Afeta positivamente o posicionamento da marca da empresa, tornando-a mais forte no mercado.⠀

Quer saber mais sobre a importância, os benefícios ou como implementar uma Governança Corporativa em sua empresa familiar? O Instituto Empresariar tem profissionais qualificados para lhe ajudar nesse assunto.

 

Cícero Rocha,

Fundador do Instituto Empresariar e Referência em Empresas Familiares.

Como está o planejamento da sua empresa familiar? Por Cícero Rocha

Muitas empresas falham em não conseguir efetuar um planejamento estratégico eficaz que contemple as características dos empreendimentos familiares.

Mas vocês sabem por que isso acontece?

São variados motivos, mas vamos destacar alguns abaixo: ⤵⠀

1. Planejamento focado apenas no negócio: o planejamento estratégico de uma empresa familiar não deve se resumir apenas às perspectivas financeiras, ao mercado, aos processos e aos clientes (BSC). Existem outros fatores cruciais que devem ser levados em consideração: família, indivíduos-chave e societário.⠀

2. Planejamento não adequado pra realidade das empresas familiares: é muito comum que se tente implementar um planejamento estratégico a partir de métodos e modelos de gestão pensados pra empresas não-familiares. A consequência disso é um planejamento que não dá conta dos riscos, ameaças e oportunidades exclusivas aos empreendimentos familiares. ⠀

3. Hierarquia e Ordem: a compreensão de que todo o ecossistema de uma empresa familiar deve ser orientado pela estratégia e não o inverso.

No Instituto Empresariar, a implementação do planejamento estratégico é orientada pelo Método BFB – Balanced Family Business, uma metodologia desenvolvida exclusivamente para as empresas familiares brasileiras.  Com o método BFB – Balanced Family Business, é possível não só apurar as peculiaridades das empresas familiares, como as distinções que existem entre cada uma delas. ⠀

Precisando de ajuda no desenvolvimento do Planejamento da sua Empresa Familiar? Fale conosco.

 

Cícero Rocha,

Fundador do Instituto Empresariar e Referência em Empresas Familiares.